06 junho 2016

Hoje "é" o DIA D

Foi há 72 anos, o “Dia D”, e é bom recordarmos e ensinarmos aos mais novos, o que foi, para evitarmos que se repita.
Decorria a 2ª Guerra Mundial, que fez milhões de mortos, entre soldados e civis, já para não falar no Holocausto, que só por si matou 6 milhões de judeus. Inúmeras cidades da Europa ficaram destruídas.
Londres destruída
NESTE dia D (a denominação é utilizada militarmente e designa um determinado dia para o qual está programada uma operação militar) deram-se os desembarques da Normandia, operações levadas a cabo pelos aliados, também conhecida como Operação Overlord e Operação Neptuno. No dia 6 de junho de 1944, cerca de 100 mil soldados, com o apoio de 6 mil navios e 5 mil aviões, desembarcaram ao longo de um trecho de 80 km na costa da Normandia, França, abrindo uma nova frente de guerra.
O assalto foi realizado em duas fases: uma aterragem de assalto aéreo de 24 mil britânicos, americanos, canadianos e tropas livres francesas aerotransportadas, pouco depois da meia-noite, e um desembarque anfíbio da infantaria aliada e divisões blindadas na costa da França, com início às 6:30 da manhã. Paralelamente havia também as operações de engodo montado sob os nomes Operação Glimmer e Operação Tributável, para distrair as forças da Alemanha nazi das áreas de ação real.


A Alemanha, por iniciativa de Rommel, esperando o desembarque aliado, procurou defender-se através da chamada muralha do Atlântico. Rommel, com sua grande experiência militar, previra que o desembarque aliado ocorreria nas praias a noroeste da França, tornando assim essa batalha um verdadeiro inferno para os Aliados, que sofreram pesadas baixas.
Os aliados, para além de terem de enfrentar o perigo representado pelo inimigo, tiveram também de ultrapassar os perigos do desembarque, quando as rampas dos barcos LCVP se abriam, e suportar o peso da carga dos equipamentos, e enfrentar o vento e as ondas antes mesmo de chegarem a terra. O ataque das praias foi, com certeza, mais sangrento na praia de Omaha, onde os soldados tiveram que enfrentar minas, arames farpados, canhões franceses de 155 milímetros capturados pelos alemães, os famosos obstáculos chamados "porcos-espinhos" e tiros de metralhadoras MG42 alemãs. 
Os alemães ficaram em desvantagem, entre outros motivos, pela incapacidade de prever a data da operação e pela divergência quanto ao local do desembarque aliado. O general alemão Rommel era de opinião que os Aliados escolheriam provavelmente a Normandia, mas Hitler estava convicto de que ela seria mais a norte, em Calais.
Consumado o desembarque e a ruptura das defesas, os aliados ficaram com o caminho aberto para o coração da Europa ocupada.


02 junho 2016

Ação de sensibilização sobre Infeções Sexualmente Transmissíveis

No âmbito da colaboração desenvolvida no presente ano lectivo entre a Biblioteca da EPDRAC  e o Centro de Saúde de Alter do Chão, realizou-se uma campa-nha de sensibilização sobre sexualidade levada a cabo pela enfermeira Ana Paula Ramalho.
Achando que o tema é sempre atual e que nunca é demais alertar os jovens para as precauções que devem tomar em função dos comportamentos que adotam, a ação teve como objectivo contribuir para a formação dos alunos. 
Na ação estiveram envolvidos a disciplina de Biologia, a Biblioteca da EPDRAC e o Centro de Saúde de Alter do Chão e abrangeu todos os alunos, que se mostraram interessados e muitos puseram questões pertinentes.
Verifica-se que, apesar de toda a informação hoje em dia disponível e ao alcance dos nossos jovens, eles continuam a acreditar que não é direcionada a eles, porque "isso a mim não acontece". Em família, apesar de haver mais liberdade de expressão e maior proximidade entre pais e filhos, o diálogo e a informação, por um motivo ou por outro, continua a não passar de forma efetiva.