22 junho 2018

RE-DISCOVERY OF HORSES EM RETA FINAL

ENCONTROS NA DINAMARCA

Entre 28 de Maio e 1 de Junho estivemos na Dinamarca para o 6º e último Encontro de Curta Duração e, de 1 a 3 de Junho, o 3º Encontro Transnacional de professores, para avaliação e balanço de tudo o que os participantes dos países beneficiaram durante estes 3 anos. A escola anfitriã foi a Ranum Efterskole College, que fica em Ranum, na zona costeira do norte da Dinamarca. O tempo estava invulgarmente bom e quente, mesmo para os participantes do sul da Europa.   
Ficámos instalados no resort Landal, a cerca de 3km de Ranum. Os dias começavam às 7hs da manhã, com o transporte para o pequeno almoço na escola, a que se seguia o programa do dia.
Com a EPDRAC foram a Catarina Braço Forte, a Maria Saraiva, o João Duros, a Ana Conchinha e o Tomás Afonso, estes últimos pela boa colaboração que deram no ano passado durante o encontro em Alter do Chão do projeto “Making the difference”.
Durante o encontro de alunos e professores houve várias oportunidades de interação entre os alunos, desde uma prova de orientação em que as equipas, formadas por alunos do mesmo país, tinham de encontrar peças de um puzzle que formavam cópias de quadros de pintores famosos, os habituais jogos entre equipas multinacionais, os “icebreaker”, muito movimentados e que contribuíram mesmo para que os elementos de cada equipa ficassem a conhecer-se, até às atividades de aprendizagem, a festa de despedida e as refeições (os almoços eram piqenique quando estávamos em visitas), com  jantares deliciosos: não é em vão que o refeitório de uma escola tem um chefe a dirigi-lo J !
No âmbito cultural do encontro visitámos o Museu Moesgaard, de arqueologia e etnografia, em Aarhus, que é um museu interactivo que deixa encantada qualquer pessoa menos entusiasta da pré-história; estivemos no parque/reserva, onde os gamos abundam e cercam os visitantes sem vergonha nenhuma (principalmente se lhes cheira a fruta, como aconteceu com a professora Vera, que acabou por deixar a um deles a maçã que trazia); ainda em Aarhus seguimos para a “Old town”, um museu que é a recriação de ambientes de cidade em três épocas diferentes: meados do séc. XIX, a que está mais e melhor representada, anos 20 e anos 70 do séc. XX; para a reconstituição trouxeram de toda a Dinamarca antigas construções, que ali foram reerguidas por entre os jardins do museu, formando uma pequena cidade dentro da cidade. 
Diretamente relacionada com o tema do projeto, “cavalos”, tivemos a oportunidade de visitar a Helgstrand Dressage, do cavaleiro olímpico Andreas Helgstrand, em Vodskov (https://www.youtube.com/watch?v=EEdDo03ZNL8), uma “máquina de empreendedorismo no mundo da equitação que deixou os alunos de TGE, principalmente, encantados; daí seguimos para Longstrup, uma praia que está a desaparecer no mar, porque as arribas estão a desmoronar-se. Já desapareceram parte da aldeia e a igreja, o farol está em risco de seguir o mesmo caminho.

A quinta feira foi toda dedicada às apresentações; o tema do encontro era a Arte, o mais possível relacionada com o cavalo. As atividades foram variadas. Portugal apresentou um trabalho sobre fado e um puzzle. A actividade da Alemanha, guardada para o fim do dia, foi a reconstituição, feita por uma equipa formada por alunos de todos os países, de um cavalo em madeira que ia em peças separadas. E houve jogos para todos, porque coincidiu com o final do ano lectivo do colégio. Depois foi o jantar e a festa de despedida. No dia seguinte vimos o filme do projecto, com fotografias tiradas ao longo destes 3 anos.

Nesse dia à tarde começava o 3º Encontro Transnacional de Professores, para avaliação do projeto, que foi, no geral, muito positiva. Coordenar uma equipa constituída por 9 países, 9 coordenadores, a maioria dos quais não se conhecia, distribuir temas e tarefas, e "pôr tudo a funcionar", não foi certamente fácil. Mas correu muito bem e todos os participantes colaboraram e deram o seu melhor para que resultasse.
Ainda tivemos oportunidade de visitar Skagen, uma cidade portuária no extremo norte da Dinamarca, e um dos poucos e recentes produtores de vinho dinamarquês, Glenholm Vingard , na região de Ranum.
Entretanto, os nossos alunos, acompanhados pela professora Vera, esperaram em Billund o final do último encontro de professores. E aproveitaram bem, visitando a Cidade do Lego (Legoland), onde passaram um dia animadíssimo.

Aqui, como no encontro na Alemanha, impressionou-me agradavelmente a “leveza do ambiente”, tudo verde e plano, povoações de pequenas dimensões e casas de um só piso, maioritariamente pré-fabricadas, separadas por jardins, muitos jardins muito bem cuidados. Auto-estradas? Muito poucas (sempre a mesma?)! muitas estradas relativamente estreitas, sempre com pistas para bicicletas dos dois lados (a bicicleta era o meio de transporte dominante).

A Dinamarca deixa, creio que para toda a equipa Portuguesa, uma óptima lembrança!
O Re-discovery of Horses também! Venha o projeto que se segue! Fiquemos com o vídeo do projeto, da autoria da Espanha :)                                                                                                                     TC
#BiblioEPDRAC